Toda fotografia desperta diferentes sentidos e sentimentos a cada pessoa que se dispõe a navegar com atenção sobre ela.

O olhar percorre a imagem, que então perde sua aparente fixidez – a imaginação passa a animá-la. As lembranças transformam sua densidade e a superfície que se acreditava ser bidimensional, palpável, revela-se areia movediça, lodo, mangue, oceano profundo.

Encontro entre dois tempos – o do instante em que a fotografia foi registrada e o momento de sua contemplação por um espectador ou espectadora. Representação do passado que ativa a memória do narrador no presente, a fotografia talvez revele tanto sobre quem a vê quanto quem a vê pode contar sobre a fotografia.


 

O livro e o documentário Ribeirão Foto Sensível apresentam um mosaico de imagens e narrativas sobre o Ribeirão da Ilha, com ênfase nas memórias relacionadas à vida social em sua Freguesia. Apenas um recorte dentre muitos outros possíveis. Pequenas histórias em torno de fotografias que se encontravam dispersas; esparsas reminiscências que aqui se apresentam unidas como numa colcha rendada.

 

 

Produzido pelo Instituto Câmara Clara e dirigido por Daniel Choma e Tati Costa, o filme tem uma hora de duração e apresenta narrativas de moradores e moradoras do Ribeirão da Ilha em torno de fotografias antigas da região registradas em sua maioria entre as décadas de 1940 e 1970 e levantadas e digitalizadas juntos a acervos públicos e privados.

A trilha musical tem a participação da Banda da Lapa, com músicas de seu repertório, além de composições e arranjos originais de Domingos de Salvi (viola), Marcelo Portela (rabeca) e Christian Faig (flauta).

 

 


As ações de pesquisa, produção e difusão cultural desenvolvidas no projeto Ribeirão Foto Sensível visaram levantar, identificar, digitalizar e colocar em circulação fotografias antigas sobre o Ribeirão da Ilha, por meio de entrevistas, produção de documentário, atividades de educação patrimonial junto a grupo de idosos e escolas e organização de publicação.

Os cem exemplares do Livro e DVD Ribeirão Foto Sensível foram distribuídos gratuitamente a escolas públicas, cineclubes e instituições museais de Florianópolis, bem como aos colaboradores e colaboradoras do projeto.

 

Adelir Edite Ferreira, moradora da Armação, apresenta suas fotos pessoais
urante entr




Arte da capa e contracapa do livro
Ribeirão Foto Sensível, que encarta a mídia DVD.

Clique aqui ou na imagem para fazer download da publicação (56 páginas).


Além do acervo fotográfico do Instituto Câmara Clara sobre o Ribeirão da Ilha, foram pesquisados os arquivos de outras onze instituições em Florianópolis: Casa da Memória, Ecomuseu do Ribeirão da Ilha, Museu Histórico de Santa Catarina, Arquivo Público do Estado, Instituto Histórico e Geográfico de Santa Catarina, MArquE-UFSC, Biblioteca Universitária da UFSC, IPHAN-SC, Arquivo Público Municipal, Biblioteca Pública do Estado e Banda da Lapa – Sociedade Musical e Recreativa Lapa.

Senhoras e senhores da comunidade também foram envolvidos no processo de levantamento fotográfico, com uma atividade no grupo de idosos do Conselho Comunitário do Ribeirão da Ilha em que se realizou uma dinâmica de roda de histórias a partir de fotografias antigas e atuais do bairro, ampliadas.

 


Durante as atividades, a equipe da Câmara Clara identificou as pessoas que possuíam fotos do bairro em seus acervos, procedendo então agendamento para visita e entrevista.

Nos acervos públicos e privados visitados foram encontradas fotografias realizadas no século 20, sendo que para a seleção das imagens foi dada preferência às registradas entre as décadas de 1940 e 1970, período em que a maior parte dos entrevistados  e entrevistadas viveram sua infância e juventude. As imagens que não se encontravam digitalizadas foram refotografadas.


Um conjunto de quarenta fotografias foi selecionado e ampliado em papel e utilizado nas dezenove entrevistas registradas em áudio e vídeo, cujos trechos estão presentes no documentário Ribeirão Foto Sensível. Nas entrevistas, a fotografia assumiu o papel de condutor das conversas e de fagulha que acende a memória.

 

 

A partir de imagens praticamente esquecidas, guardadas há tempos pelo tempo, dispersas em diferentes acervos públicos e particulares, buscou-se reunir e trazer à cena os segredos guardados em fotografias do passado.

Lembranças que permanecem presentes e ativas, impregnando de sentidos o cotidiano e o imaginário de várias gerações. Memórias latentes e compartilhadas que, ao serem valorizadas pela linguagem artística e circulação social,  buscam fortalecer o sentimento de pertencimento, autoestima e identificação cultural das comunidades envolvidas.

 

 


Além de cessão gratuita do documentário a televisões públicas, universitárias e educativas, foram realizadas três exibições gratuitas do documentário para a comunidade da Freguesia do Ribeirão da Ilha: na Escola Estadual Dom Jaime de Barros Câmara, no Centro Social e no Grupo de Idosos do Conselho Comunitário do Ribeirão da Ilha.

O projeto Ribeirão Foto Sensível, desenvolvido entre 2018 e 2019, foi uma iniciativa do Instituto Câmara Clara que contou com apoio da Banda da Lapa e realização da Fundação Catarinense de Cultura, Secretaria de Estado de Turismo, Cultura e Esporte, Governo de Santa Catarina, e da Secretaria da Cidadania e da Diversidade Cultural, Ministério da Cultura, Governo Federal. Mais informações pelo e-mail contato@camaraclara.org.br

Downloads:

Clique aqui para fazer download do PDF com o livro Ribeirão Foto Sensível (2019, 56 páginas), que traz mais de quarenta fotografias sobre o Ribeirão da Ilha levantadas nos mais diferentes acervos públicos e privados de Florianópolis.

Clique aqui para assistir o documentário Ribeirão Foto Sensível.

 

 

Ficha Técnica
Projeto Ribeirão Foto Sensível

Direção Audiovisual e Editorial: Daniel Choma.
Direção de Pesquisa e Produção:
Tati Costa.

Trilha Musical: Domingos de Salvi (Viola), Marcelo Portela (rabeca), Cristian Faig (flauta) e Banda da Lapa (banda de música)
Produção:
Câmara Clara – Instituto de Memória e Imagem.
Apoio: Banda da Lapa - Sociedade Musical e Recreativa Lapa
Realização:
Fundação Catarinense de Cultura
Secretaria de Turismo, Cultura e Esporte - Governo do Estado de Santa Catarina
Secretaria da Cidadania e Diversidade Cultural
Ministério da Cultura - Governo Federal

E-mail: contato@camaraclara.org.br

Agradecimentos especiais

Às pessoas que colaboraram cedendo entrevistas e fotografias:
• Alécio Heidenreich
• Alexandro d´Avila Heidenreich
• Álvaro Dias Zatarian
• Amélia Maria Xavier
• Antonio José Antunes (Polaco)
• Arnoldo João de Souza
• Arnoldo Manoel Feliciano (Dedinha)
• Catarina Ondina de Aguiar
• Claudete Fraga
• Edson Simas
• Fernando Luiz Correa (Manduca)
• Hadelina Helena Vieira
• Ivonira Julieta da Silva
• Juliana Machado da Silveira
• Lídia Solange de Souza
• Marly de Ávila
• Nereu do Vale Pereira
• Vandina de Souza Amorim Barros (Dona Mulata)
• Vilson Roberto Xavier
• Virgínia Maria da Silva Cunha

Às equipes dos arquivos consultados e demais instituições que apoiaram esta realização:
• Ecomuseu do Ribeirão da Ilha;
• Casa da Memória – Fundação Cultural de Florianópolis Franklin Cascaes;
• Setor de Coleções Especiais – Biblioteca Universitária – Campus Florianópolis – UFSC;
• Museu de Arqueologia e Etnologia Professor Oswaldo Rodrigues Cabral - UFSC;
• Paróquia Nossa Senhora da Lapa (Matriz da Freguesia do Ribeirão da Ilha);
• Escola Estadual EEB Dom Jaime de Barros Câmara;
• Conselho Comunitário do Ribeirão da Ilha;
• Grupo de Idosos do Conselho Comunitário do Ribeirão da Ilha;
• Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – Superintendência em Santa Catarina;
• Fundação Catarinense de Cultura e Governo de Santa Catarina – Secretaria de Estado de Turismo, Cultura e Esporte;
• Secretaria da Cidadania e da Diversidade Cultural, Ministério da Cultura e Governo Federal.

Aos músicos, musicistas e diretoria da Banda da Lapa – Sociedade Musical e Recreativa Lapa.

Aos moradores e moradoras do Ribeirão da Ilha.

Aos fotógrafos e fotógrafas autores das imagens aqui publicadas e a todas as pessoas presentes nas fotografias.