O toque do violeiro

Grandes encontros e muito aprendizado deram o tom à primeira etapa da Oficina de Documentário, Viola e Canção do projeto Intergerações Viola Paulista em Campinas-SP, realizada entre os dias 06 e 11 de maio de 2017.

As atividades desenvolvidas no Centro de Cultura Caipira e Arte Popular, no distrito de Joaquim Egídio, ofereceram um panorama sobre a presença da viola nas diferentes regiões do Brasil, suas variadas formas, denominações, afinações e modos de tocar, bem como levaram os participantes a refletir sobre aspectos éticos, técnicos e estéticos da produção audiovisual e temas como memória, envelhecimento e relações intergeracionais.

Práticas de entrevista com violeiros foram realizadas em diversos pontos da cidade e uma roda de viola, memória e canção, atividade prática de registro audiovisual, contou com a participação especial do Grupo de Catira São Gonçalo, de Campinas-SP.

O violeiro e compositor Tião Mineiro (foto abaixo), é um dos seus integrantes, e foi entrevistado pela equipe do projeto Intergerações Viola Paulista.

Agora, as mais de 40 horas de material áudio e visual registrados seguem para edição, devendo resultar em uma série de curtas documentários. Para dezembro de 2017 está prevista a segunda etapa da oficina, onde serão abordadas linguagens e metodologias de edição audiovisual, e quando será realizado o evento de lançamento dos filmes e a distribuição gratuita dos DVDs a cineclubes e instituições culturais.

O projeto Intergerações Viola Paulista – Etapa Campinas é uma realização do Programa de Ação Cultural do Estado de São Paulo e Governo do Estado de São Paulo – Secretaria da Cultura, produzido por artistas e pesquisadores do Instituto Câmara Clara e Voamundo Cultural, com o apoio do Museu da Cidade, Secretaria de Cultura – Prefeitura de Campinas.

Agradecimento especial aos violeiros Tião Mineiro, Candeeiro Franco, Marcos Ricardo, João Arruda, Paulo Freire, João Paulo Amaral, Renival Cruz, Messias da Viola, Thiago Rossi, e ao luthier Zé Esmerindo, que cederam entrevistas e compartilharam em verso e prosa memórias e saberes sobre o universo da viola e da cultura caipira, e também a João André Garboggini e à Adriana Barão, pelo apoio do Museu da Cidade na divulgação da oficina e cessão do espaço do Centro de Cultura Caipira e Arte Popular no distrito de Joaquim Egídio, e aos integrantes do Grupo de Catira São Gonçalo.

“A viola não tem diploma… Mas ela diploma a pessoa.”

Tião Mineiro, violeiro, folião, catireiro e compositor, residente em Campinas-SP.

“No momento  em que estou fazendo um instrumento eu me deixo levar pelo que a madeira me inspira. E se a gente for pensar, era por aqui que subia toda a seiva pro fruto, que alimentou tanto passarinho, tanta gente. E depois, como diz uma música do Levi Ramiro, parte dela foi pro fogão… E parte dela virou viola.”

Depoimento de João Lejambre, fazedor de instrumentos, poeta e violeiro presente no documentário Inventorias.
>> Assista aqui >>

“A construção do instrumento é matemática. Um milímetro que você desvie o trasto na colocação da escala no braço, um milímetro… Você perde nota.”

Depoimento de Mele Florio, coordenadora da Escola de Lutheria de Atibaia, presente no documentário Alma sonora.

>> Assista aqui >>

Documentários estreiam em Limeira e Atibaia

Mais de cento e cinquenta pessoas compareceram aos eventos de
lançamento dos documentários Intergerações Viola Paulista,
realizados nos dias 17 e 18 de março de 2017 na Escola de
Lutheria de Atibaia-SP e no Palacete Levy, em Limeira-SP.

>> Saiba mais sobre os eventos de exibição >>

“As folias são importantes por que trazem esta bagagem que fortalece as pessoas: Deus vai nascer no nosso meio, é gente do nosso meio. Então esta esperança, esta expectativa, quem acompanha as folias percebe. Há muita alegria, há muita emoção… E há também a expectativa de um mundo melhor.”

Depoimento de Wilson Cerqueira, violeiro e coordenador da Companhia de Reis São Lucas, de Limeira-SP, presente no documentário Viola de Reis.

>> Assista aqui >>

“Os nossos mestres, a gente nunca esquece.”

Depoimento de Adaíro Pires, Violeiro da Congada Verde, Atibaia-SP, presente no documentário Encontro de Mestres.

>> Assista aqui >>

Artes do fazer e do lembrar musical

Projeto integra gerações na pesquisa sobre o universo da viola caipira

Oficinas de Documentário, Viola e Canção

Atividades em Limeira-SP e Atibaia-SP envolveram mais de setenta participantes

>> Acesse fotos de bastidores <<

Integram-se as linguagens do audiovisual e da música

em ações de pesquisa, formação, produção e circulação cultural

Na primeira etapa, realizada entre março de 2016 e março de 2017, investigou-se o processo artesanal de construção da viola e sua presença no cotidiano de moradores e grupos culturais de Limeira-SP e Atibaia-SP (duplas caipiras, orquestras de viola, grupos de Folias de Reis, Congadas, Festas de São Gonçalo etc).

circulação cultural

As atividades em Limeira e Atibaia resultaram em seis documentários e uma videoaula:

01. Inventorias (39 minutos)
02. Viola encantada (29 minutos)
03. Alma Sonora (23 minutos)
04. Viola de reis (31 minutos)
05. Encontro de Mestres (20 min)
06. Drama de palhaço (11 minutos)
07. Videoaula Introdução a lutheria de viola (13 minutos)

Os cinco primeiros integram o DVD Intergerações Viola Paulista, cujos quinhentos exemplares serão distribuídos gratuitamente a mais de duzentas instituições culturais do estado de São Paulo, além de colaboradores e grupos envolvidos na pesquisa vídeo-musical.

 


 

Parcerias - Etapa Limeira e Atibaia

 

Parcerias - Etapa Campinas