Twitter Facebook Email

Sobre os projetos

foto_projeto_centro_de_memoria_01

No espaço geográfico e social do Ribeirão da Ilha, a Banda da Lapa, ao longo de seus 117 anos de existência, tem tradição e historicidade comunitária, apresenta-se como um núcleo de convergência de práticas culturais em torno da música e das festividades comunitárias. Principalmente as festas tradicionais religiosas, que marcam a constituição e manutenção da Banda e representam suas principais apresentações musicais. A exemplo da Festa do Divino e da Festa de Nossa Senhora da Lapa (padroeira da comunidade), que ocorrem anualmente. Outras comemorações, em especial o carnaval, com a prática do Zé Pereira, configuram a trajetória de apresentações musicais e de sociabilidade. A relevância histórica e expressividade da atuação da Banda da Lapa no mosaico cultural de Santa Catarina é representativa para pesquisas sobre a atuação de bandas instrumentais desde o século XIX, e vários aspectos a respeito da atuação deste grupo musical são identificados em pesquisas a respeito realizadas em todo o Brasil.

 foto_projeto_centro_de_memoria_02

Para a organização do Centro de Memória Musical da Lapa levou-se em conta as interfaces entre “História” e “histórias”, ou as circularidades entre a história oficial nacional, e as singulares (mas não menos significativas!) histórias locais. A História da Música Popular Brasileira, além dos profissionais consagrados de referência nacional e estética para as diversas épocas, deve considerar a importante significação das histórias regionais, onde vários profissionais e excelentes compositores e musicistas batalharam e batalham para fazer sua arte da melhor maneira.

 

A reunião de registros acerca da história e memória social relativa à Banda da Lapa representa potencialidades de expansão para referências quanto à produção musical do Estado de Santa Catarina e busca mais do que a memória da própria Banda, objetiva compor um referencial sobre o universo musical do Ribeirão da Ilha, de modo que envolveu o trabalho de pesquisa e registro de manifestações musicais da cultura popular, incorporando a tradição oral e cantigas dos músicos e cantores de Terno de Reis.

 foto_projeto_centro_de_memoria_03

Trata-se de uma ação ligada ao patrimônio cultural catarinense através dos diversos registros que agregam registros audiovisuais de historia oral, fotografias, documentos, composições musicais originais, arranjos, composições de inspiração relacionadas às temáticas catarinenses e/ou criadas por músicos daqui. E tem a pretensão de longa continuidade através de uma ampliação do acervo para as memórias sobre a rede de bandas e grupos musicais tradicionais de outras regiões.

 

Dentre as referências a respeito da significância de expressões musicais para o patrimônio cultual. Um exemplo são os inventários sobre universos sonoros culturais, organizados por Mário de Andrade, na década de 1920. Outras propostas são também discutidas nas produções e publicações do IPHAN. E dentre os historiadores dedicados à área, Ulpiano T. B. Meneses sinaliza para a importância do registro e trabalho histórico, contemplando os recursos das novas mídias.

 

No processo de organização do Centro de Memória Musical da Lapa, foi de fundamental importância a colaboração de diversas pessoas da Banda da Lapa, bem como da comunidade do Ribeirão da Ilha, na extensão do distrito que abarca desde o Alto Ribeirão até a Caieira da Barra do Sul.

 

Em especial, mencionamos os colaboradores que contribuíram com a pesquisa, abrindo seus arquivos pessoais para consulta e reprodução digital: Sr. Alécio Heidenreich, Vilmar Alves da Silva (Vitamina), Mestre Mario João Daniel, e Hemersom Calandrini Tristão Coelho.

 foto_projeto_centro_de_memoria_04

Com cuidadosa atenção e carinho, fomos recebidos pelos colaboradores que nos concederam entrevistas e suas famílias, abrindo suas casas e corações: Dona Maria Eleotério Martins, José Hortêncio Martins, Nivaldo Rodolfo Cunha, Dalmira Martins Lopes, Zenaldo Dorval da Silveira, Bernardo Sens.

 

Foi enorme o apoio de Valéria Valdeci Martins, Wellinton Correa, Ellison Wilamil, André Pacheco Henrique e o Sr. José Carlos Correa, durante todos os trâmites de produção, pesquisa e realização das atividades.

 

E, finalmente, nossa admiração e agradecimento a todas as pessoas que fizeram e fazem parte da Sociedade Musical e Recreativa Lapa.

 

Fontes de pesquisa

• Arquivo Sociedade Musical e Recreativa Lapa.

• Arquivos pessoais de Mário João Daniel, Alécio Heidenreich, Vilmar Alves da Silva, Hemersom C. T. Coelho.

• Arquivos do projeto Memórias e Harmonias da Banda da Lapa – Instituto Câmara Clara.

 

Entrevistados

Maria Eleotério Martins (Dona Santinha), José Hortêncio Martins, Nivaldo Rodolfo Cunha, Dalmira Martins Lopes, Idalino Barbosa.

 

Músicos acompanhantes

• Acordeon – Idalino Gaiteiro

• Vozes – Nivaldo Cunha, José Martins, Dalmira Martins, João Januário

• Cordas – Lorena Lopes, Marcelo Lima, Zenaldo da Silveira, André Henrique

• Percussão – Ailton Martins, Romário Barcellos

• Acordeon 02 – Bernardo Sens

 

Equipe

• Tati Costa – Direção de Pesquisa e Produção

• Daniel Choma – Direção Audiovisual e Editorial

• André Betschart – Webdesign

• William Cima – Programação

• Valéria Valdeci – Produtora assistente

• Ellison Wilamil, André Henrique, Wellinton Correa – Equipe de Apoio

• Hemersom Calandrini Tristão Coelho – Criação de arranjo “Hino à Banda do Ribeirão”

• Mario João Daniel – Arranjo original “XV de Agosto d e1996. Centenário da Banda da Lapa”

 

Contato

•  bandadalapa@hotmail.com

•  contato@camaraclara.org.br

•  www.camaraclara.org.br

•  www. bandadalapa.com.br

Ponto de Memória . Câmara Clara . Memórias em Movimento

foto_projeto_centro_de_memoria_06

Pelas iniciativas desenvolvidas em seus primeiros cinco anos de atuação, a Câmara Clara Instituto de Memória e Imagem recebeu o prêmio Pontos de Memória 2011, concedido pelo Instituto Brasileiro de Museus (IBRAM).

 

O prêmio foi um reconhecimento ao conjunto de ações realizadas desde 2007, em três estados brasileiros, que já atingiram um público de mais de vinte mil pessoas, beneficiadas com ações e produtos culturais resultantes dos dezesseis projetos já desenvolvidos. Atividades focadas no registro, preservação e difusão do patrimônio material – acervos fotográficos e documentais – e do patrimônio imaterial - memórias, saberes e artes do fazer de grupos sociais periféricos.

 

As ações abrangeram desde recuperação e organização de acervos, até realização de atividades de educação patrimonial, oficinas, entrevistas, exposições, produção e circulação de documentários, organização e publicação de livros, revistas, websites, artigos e comunicações em congressos.

 

Os Pontos de Memória representam, segundo o IBRAM, papel importante para atender os diferentes grupos sociais brasileiros que não tiveram a oportunidade de narrar e expor suas próprias histórias, memórias e patrimônios nos museus. Aí está uma afinidade com os princípios que inspiram o trabalho da Câmara Clara: todo grupo social é digno de ter suas memórias registradas e suas histórias transmitidas a outras gerações, com o reconhecimento de suas lembranças e respeito aos seus espaços de convivência. Por isso um compromisso central é o retorno aos grupos envolvidos através dos registros de memória que protagonizaram.

 foto_projeto_centro_de_memoria_05

Como iniciativa de Ponto de Memória a Câmara Clara organizou o Centro de Memória Musical da Lapa, em continuidade às pesquisas iniciadas em 2010 no projeto Memórias e Harmonias da Banda da Lapa. Além de viabilizar a realização de novas atividades – como o registro fotográfico e audiovisual do Terno de Reis Amigos da Caieira da Barra do Sul -, a premiação permitiu sistematizar e difundir a metodologia de trabalho que tem sido aprimorada no instituto. A proposta integra pesquisas sobre temas da memória social com a difusão pública das fontes através dos meios audiovisuais, editoriais e informáticos, de modo a criar pontes entre os saberes de pessoas idosas, a educação pública e as novas gerações.

 

Foram três as principais realizações, como Ponto de Memória, entre 2012 e 2013:
1. organização do Centro de Memória Musical da Lapa e disponibilização na internet;
2. produção de documentário sobre uma manifestação musical do distrito do Ribeirão da Ilha, ao sul de Florianópolis (documentário Relíquias de um Terno de Reis);
3. organização, publicação e distribuição de Livro DVD para difusão pública do acervo e da metodologia de ação cultural da Câmara Clara.

O toque de cada mestre

JPEG_INDEX_SITE_REDUZIDO_BAIXARESOLUCAO
Para fortalecer o ensino de música que faz parte da história da Banda da Lapa, gestora do Ponto de Cultura Educação Musical Popular, a interação estética entre audiovisual, imagem, sons e memórias, produziu ao longo do ano de 2013, videoaulas que abordam conservação dos instrumentos de sopro, técnicas de estudo, regência, ritmo, improvisação e os sentidos da música para a vida.

O processo integrou músicos e amigos da Banda da Lapa na produção de um caderno de música acompanhado por DVD, para ser utilizado por músicos e musicistas de todas as bandas, para mestres e aprendizes de todas as idades.
O lançamento foi celebrado no CineSom 3, terceira edição do evento que reúne cinema e música ao vivo na Banda da Lapa.